MP investiga compra superfaturada de lixeiras no governo de Claudevane Leite

MP investiga compra superfaturada de lixeiras no governo de Claudevane Leite
MP investiga compra superfaturada de lixeiras no governo de Claudevane Leite

A denúncia foi feita aos órgãos de controle interno da prefeitura e em diversas secretarias do governo Vane.

Há duas semanas, o AgOra publicou, na coluna Política & Políticos, uma nota em que informava que o Ministério Público está investigando a compra de lixeiras inox ao custo de R$ 7 mil a unidade, destinadas à prefeitura de Itabuna. Eis o texto: “Uma lixeira por R$ 7.000,00. O escândalo, que ainda está no forno, prestes a ser servido pelo Ministério Público em forma de denúncia, vem do Restaurante Popular na gestão do ex-prefeito Claudevane Leite (2013-16). Por mais que fossem trabalhadas em aço inox, tem gente achando que nesse angu tem caroço. Aguardemos.”

O AgOra volta ao tema e traz os detalhes dessa história. De acordo com as investigações, foram gastos R$ 126 mil na compra, que foi regida por meio de uma licitação tipo Pregão (nº 35/2012).As lixeiras se destinavam ao Restaurante Popular, que era ligado à Secretaria de Assistência Social. Quem fez a denúncia ao Ministério Público foi o então chefe de Patrimônio da prefeitura, Mark Wilson da Silva Teixeira.

Ele contou ao MP ter estranhado um valor tão elevado para um produto que seria relativamente barato. “Quando fui conferir a compra, vi que os objetos licitados, inicialmente, seriam carrinhos para detritos com pedal. No meio do caminho, viraram lixeiras”, afirma Teixeira.

Ele diz que procurou os setores responsáveis pelas compras, secretarias diretamente envolvidas e órgãos internos de controle, como a Controladoria. Chegou a ser ouvido pela Corregedoria, mas ninguém conseguiu dar uma resposta sobre a compra. “Acabou o governo e esse negócio não foi explicado. Fiz a mesma denúncia ao Ministério Público, que, segundo me informei, já vai ofertar denúncia desse caso. Isso é dinheiro público sendo gasto de maneira ilegal”.

Uma busca no mercado, feita em 2015 pelo denunciante (anexada à denúncia que fez ao MP), mostra que a mesma lixeira inox poderia ter sido comprada a um custo unitário de R$ 1.721,00. Se fosse levado em conta o princípio da economicidade, um dos norteadores das compras públicas, o valor total seria R$ 30.978. Bem menor que os R$ 126.000,00 pagos, segundo os documentos constantes da denúncia.

A Reportagem fez outra busca na internet, no dia 8 de junho. O primeiro valor encontrado foi de R$ 1.414,67 a unidade, sem os custos de transporte e impostos.

  • Criado em .

Jornal Agora

Rua Juca Leão, 65, Centro, Itabuna - BA
Telefones: (73) 3613-5504
Fundado em 28 de julho de 1981 Este endereço de email está sendo protegido de spambots. Você precisa do JavaScript ativado para vê-lo.

© Copyright 2009 / 2017 Jornal Agora   |   Todos os direitos reservados.

Desenvolvido por: