Tumulto e incertezas na posse do prefeito de Santo Antonio de Jesus

possesantoantonioMedidas tomadas pelo ex-presidente da Câmara geraram confusão no início da nova gestão

A sessão de posse do novo prefeito de Santo Antonio de Jesus, Humberto Leite (PDT) foi marcada por muita confusão no primeiro dia de 2013. Conforme é praxe, uma sessão especial no primeiro dia do ano resulta na posse do novo gestor do Executivo bem como dos vereadores que compõem o Poder Legislativo, mas com a ausência de cinco vereadores de oposição e a decisão do até então presidente da Câmara, Délcio Mascarenhas de fechar as portas da casa legislativa, um grande tumulto se formou.

O fato é que o grupo que comandava a Câmara de Vereadores foi derrotado na eleição majoritária e perdeu o poder na Prefeitura, e numa clara tentativa de enfraquecer a cerimônia de posse, o então presidente em exercício, Délcio Mascarenhas resolveu limitar a presença de pessoas na assistência da Câmara, o que foi rechaçado pelas centenas de eleitores do prefeito Humberto Leite que queriam assistir à posse. A situação ficou ainda mais tensa quando a porta da Câmara foi arrombada pela população que adentrou para assistir à cerimônia.

Mesmo com o reforço policial oferecido pelo 14º Batalhão da Polícia Militar, o clima de animosidade se manteve até a chegada do prefeito Humberto Leite que ao lado do vice Faustino Cunha se dirigiu ao Plenário da Câmara para ser empossado após 20 anos fora do poder em Santo Antonio de Jesus.

A posse aconteceu, no entanto, com a presença de apenas nove dos 14 vereadores eleitos, já que cinco edis de oposição optaram por não comparecer à sessão para assistir a posse do prefeito e proceder às suas próprias posses. A atitude foi considerada pela maioria das pessoas que compareceram à Câmara "falta de respeito" para com o prefeito e os eleitores que deram aos cinco edis o mandato eletivo.

Foram empossados também os nove vereadores presentes na sessão, sendo dois de oposição, Délcio Mascarenhas (PP) e Antonio Nogueira Neto (Tom) (PSB), e os sete da situação, Francisco Freire (PRP), Marcos Antonio Muniz (Chispita) (PSD), Cristiano Sena e Uberdan Cardoso, ambos do PT, Gilson Bastos (PDT), Francisco de Assis Lima Damasceno (Chico de Dega) (PDT) e Marcos Vinicius de Santana Santos (Sargento Vinicius) (PSD). A ausência dos cinco outros edis não foi justificada.

Presidência

A polêmica e o tumulto, no entanto, tornaram-se ainda maiores após a apresentação, por parte do grupo de vereadores da situação, de um requerimento para a realização da eleição da presidência da Câmara na própria sessão de posse, já que a eleição estava agendada para a quarta-feira (2), conforme possibilita a Lei Orgânica Municipal.

Com a negativa do então presidente da sessão, o vereador Délcio Mascarenhas em votar o requerimento, após muita confusão, a presidência foi assumida pelo vereador mais votado na última eleição, o médico Francisco Freire, candidato à presidência pela situação. Como candidato, ele não poderia conduzir a votação e passou a presidência para o vereador Uberdan Cardoso (PT), este presidiu a sessão de eleição da qual não participaram os vereadores de oposição Délcio Mascarenhas e Antonio Nogueira Neto.

Baseados no fato de que os dois opositores assinaram a lista de presença, o que estabeleceria o quorum necessário para a sessão de eleição, os vereadores da situação realizaram a votação que elegeu Francisco Freire como novo presidente da Câmara.

A votação gerou ainda mais polêmica, discussões e embates entre os vereadores dos dois lados. No final da sessão, diante do impasse, as chaves da Câmara foram entregues ao comandante do 14º BPM, tenente coronel Luziel Andrade, para que as conduzisse até o Fórum Wilde Lima onde foram entregues à Justiça Eleitoral que decidirá quais rumos serão dados ao Legislativo após as confusões.

comments

Expediente

Diretor: José Adervan de Oliveira
Editor-chefe: Marcus Vinicius de Sá Lessa
Editorialista: Antônio Lopes
Repórteres: Kléber Torres, Lorena Guimarães, Jackeline Simões, Mariana Ferreira, Camila Oliveira
Diagramação: Valter Valença F. Júnior, Arnold Coelho, Évellin Portugal
Revisão: Rute Praxedes
Circulação: Valter Santos Damasceno
Diretora de Marketing: Fernanda Oliveira
Diretor Comercial: Robson Nascimento
Vendas: Flávia Pires,
Impressão: Jackson Hermenegildo

Jornal Agora

Jornal Agora é propriedade de
T.O Barros Editora ME
Rua Juca Leão, 65, Centro, Itabuna - BA
Telefones: (73)36135657
Fax (73)36135343
Sucursal Ipiaú: (73)35314598
Sucursal Sto Antônio de Jesus: (75)36324836
Sucursal Gandu: (73)32540629
Fundado em 28 de julho de 1981
Emails:  O endereço de e-mail address está sendo protegido de spambots. Você precisa ativar o JavaScript enabled para vê-lo.
Assinantes e vendas: O endereço de e-mail address está sendo protegido de spambots. Você precisa ativar o JavaScript enabled para vê-lo.